Portal NOticias de Uruçui

Hibisco
Com ataques à gestão do PT

Aécio Neves assume presidência do PSDB em convenção em Brasília

Publicada em 18 de Maio de 2013 às 19h27


Aécio (Foto: George Gianni / PSDB / Divulgação) Aécio (Foto: George Gianni / PSDB / Divulgação) Eleito neste sábado como novo presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) assumiu o cargo com a defesa do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), inclusive as privatizações adotadas na gestão do tucano, além de ataques à gestão do PT.

» Siga-nos no Twitter
» Participe da comunidade no Orkut

As privatizações foram um tema sensível nas últimas campanhas do PSDB e usadas por adversários para atacar a gestão tucano.

A escolha de Aécio para o comando do partido dá início às articulações da sigla para lançá-lo candidato ao Palácio do Planalto em 2014. O tucano e a nova executiva nacional do PSDB foram eleitos com votos favoráveis de 521 dos 535 delegados do PSDB que participaram neste sábado da convenção da sigla, em Brasília.

Em meio à divisão do PSDB sobre sua candidatura à Presidência, o tucano disse que não assume um "partido esfacelado", mas um "partido unido como nunca".

Segundo ele, o PSDB vai se "apresentar no momento certo", que é 2014. "Ainda não é hora de tratarmos disso, com um projeto alternativo a esse que está aí. Onde estiver o PSDB, estará a defesa intransigente da ética, da liberdade, da democracia", afirmou, a despeito do discurso de alguns presentes que já o lançaram na disputa da cadeira de Dilma Rousseff (PT).

Aécio fez um discurso inflamado, em que acusou o Brasil de "estagnação". Com postura de candidato, o tucano disparou críticas à gestão do PT no Palácio do Planalto ---tanto ao governo Lula quanto no de Dilma.

"Se tivessem que comemorar dois anos [de governo Dilma], seria o pibinho ridículo, irrisório, vexatório", disse. O tucano afirmou ainda que o PT comemorou seus dez anos no governo porque, nos dois últimos anos, a gestão de Dilma foi um "fracasso".

Atacando o elevado número de ministérios na atual gestão, Aécio alfinetou: "recebi um e-mail de um amigo, dizendo que o Sri Lanka tem 53 ministérios. Que se cuide o Sri Lanka que, daqui a pouco, vai ser vice-campeão [na comparação com o PT]".

O tucano disse que o PT promove o "governo dos amigos, para os amigos", enquanto o PSDB vai "cuidar das pessoas, olhar e buscar os caminhos evitando o populismo e medidas demagógicas".

Segundo Aécio, os desafios dos tempos de Fernando Henrique Cardoso, como inflação, "desarranjo econômico" e perda da credibilidade do país, estão de volta. Ele citou FHC como o presidente que mudou a história do país. "Garantimos a abertura da economia, com as privatizações", afirmou. Nos últimos anos, os tucanos evitam defender publicamente as privatizações --tema explorado pelo PT como uma das principais críticas aos tucanos.

Também listou feitos históricos do PSDB, como a estabilização da economia "convulsionada pela hiperinflação", o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal e os "primeiros programas de transferência de renda" --principal mote dos governos do PT. 



Fonte: Folha
Tags: Aécio Neves - PSDB

Fonte: Folha  |  Publicado por: Redação Uruçui
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade Cerrados Restaurante