Portal NOticias de Uruçui

Jardins de Manuella
Candidato à reeleição

Candidato Zé Filho reafirma que Piauí sofre perseguição política

Publicada em 05 de Agosto de 2014 às 19h13


Candidato Zé Filho durante programa Candidato Zé Filho durante programa O candidato à reeleição ao governo do Piauí Zé Filho (PMDB) participou do programa Vota Piauí Sabatina nesta terça-feira (05). Respondendo a perguntas dos adversários e dos jornalistas Douglas Cordeiro, Marcos Melo, Pedro Alcântara e Feitosa Costa o candidato à reeleição apresentou dados sobre o crescimento do Piauí e o planejamento do Estado para os próximos 4 anos e mais uma vez deu provas de que o Estado é perseguido politicamente.

» Siga-nos no Twitter
Zé Filho foi enfático ao tratar de declarações da oposição que querem apontar dívidas ao Estado. O candidato afirmou claramente que o Piauí não possui inadimplências, a não ser a deixada por governos passados. ?Nós não estamos devendo nada a ninguém. Os bancos estão dificultando até os nossos financiamentos com questões de documentação para liberar os financiamentos?, afirmou o candidato a reeleição. Zé Filho aproveitou para dar um último aviso ao Banco do Brasil.

?O Banco do Brasil é do governo federal e está dificultando. Eu dou um ultimato ao Banco do Brasil. Eu não devo nada ao Banco do Brasil. Se eles não resolverem isso vamos tirar todas as contas do Banco do Brasil. Está prejudicando o Estado com uma política pequena. Se essa semana não resolver eu tiro não só a folha, são todas as contas. Eu tenho uma conta do Iapep lá que são R$ 100 milhões?, disse Zé Filho acrescentando que a relação do Estado com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) teve dificuldades por causa da política econômica de desonerações do governo federal.

Durante a entrevista o candidato à reeleição partilhou um segredo, o conteúdo da conversa com a presidente Dilma Rousseff (PT) na última visita dela ao Piauí. ?Eu disse que queria que ela resolvesse o problema da Eletrobras que era o que ela ainda hoje deve aos fornecedores desse uma solução do Porto de Luis Correia e eu disse que só aceitava se fosse até antes das eleições?, destacou Zé Filho narrando a sua conversa com a presidente que até agora era segredo. Zé Filho esclareceu que pelo não cumprimento da promessa acabou apoiando o candidato à presidente Aécio Neves. "Eu fui ao vice-presidente da República Michel Temer no dia 15 de junho para dizer que eu não tinha discurso para defender a presidente Dilma no meu Estado?, disse.


Oportunidade

Para Zé Filho momentos como o Vota Piauí Sabatina ajudam a estruturar a democracia e conhecimento da população a respeito dos candidatos. ?Eu acho uma importante oportunidade para os nossos irmãos do Piauí conhecer todos os candidatos e a vontade que cada um deles tem de transformar o nosso Estado. Eu vou deixar que a avaliação seja feita por cada irmão do Piauí que pode assistir?, destacou o candidato à reeleição. Zé Filho pontuou que a entrevista foi uma chance de explicar ao povo piauiense o que tem feito pelo Piauí e o que pretende fazer pelo Estado nos próximos 4 anos.

?Tudo aquilo que a gente tem a oportunidade de estar esclarecendo é muito bom. Tudo que foi perguntado era preciso esclarecer falando a verdade. A gente não pode mais tá levando o povo no deboche e na mentira. O povo do Piauí tem de ser levado a sério e essa foi a oportunidade de falarmos?, disse Zé Filho. Respondendo a pergunta do principal candidato adversário Zé Filho mostrou o que já tem feito pelo Piauí nestes meses de governo. ?Ele contratou pouco mais de 800 policiais militares em 8 anos de governo. O governo do Wilson Martins contratou 800 em quatro anos. Até o final do ano vamos contratar 400 soldados e 30 oficiais?, afirmou.


Fonte: Ascom Zé Filho 
Tags: perseguição política - Zé Filho

Fonte: Ascom Zé Filho  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade Cerrados Restaurante
Publicidade
Publicidade