Portal NOticias de Uruçui

Hibisco
Um dos mitos do Piauí

Em situação de descaso, Aeroporto de SRN continua fechado e no esquecimento

Publicada em 31 de Maio de 2016 às 09h02


Aeroporto de SRN continua fechado Aeroporto de SRN continua fechado A lenda do aeroporto 'internacional' de São Raimundo Nonato poderia muito bem fazer parte das visitações no município, como que sendo um dos símbolos das façanhas do homem americano. Sendo esse ícone, entretanto, um aglomerado de artefatos sinônimo da mais alta incompetência e, até então, do desperdício do dinheiro público.

» Siga-nos no Twitter
» Participe da comunidade no Orkut

O aeroporto está fechado e só funcionaria para pequenos voos privados. Ou seja, a enorme quantia de milhões e milhões de reais em recursos públicos investidos nele, há anos, não vêm servindo para nada, a não ser para alguns que possuem ou alugam aeronaves privadas. Entre eles, alguns políticos, claro. Voo para o cidadão comum: nenhum.

Em volta do aeroporto, principalmente na parte da frente, o que se constata é o crescimento de uma vegetação nada amistosa. Também é visível a quantidade de urubus, o que é um grande risco para as aeronaves.

A grande estrutura, dessa forma, está ficando absoleta, e é usada somente, além dos voos particulares, para ludibriar a população em época de propaganda eleitoral. Com suas belas imagens aéreas. Ponto. E final.

Muitas ?pessoas de fora?, como relatam funcionários dos poucos hotéis da região, se assustam ao saber que se deslocaram de tão longe, muitas vezes por estradas ruins, sendo que no município há um aeroporto edificado, mas imprestável.

Também se assustam quando sabem que não existem os tais vôos internacionais, como propagandeiam. Isso é praticamente uma lenda que é repetida aos sete ventos, mas que se tornou cômica para os moradores da região, conhecedores dos limites impostos para que esse termo, o ?internacional?, venha mesmo a ser posto em prática.

A própria cidade, São Raimundo Nonato, com um trânsito caótico, sinalização confusa, sem estrutura hoteleira e uma água de péssima qualidade, não é um ambiente atrativo aos olhos de quem "vem de fora".

O que sobra para o interesse da comunidade internacional é a Serra da Capivara, o Museu do Homem Americano e o Parque da Serra das Confusões, cujo acesso é em Caracol, a 85 quilômetros do município de São Raimundo Nonato, mas que também está subaproveitado.

Fora isso, só promessas. Não tem como ser um aeroporto com fluxo internacional. É miragem, é mentiroso quem propagandeia isso. E não é pessimismo. É a mais nítida realidade. Ir contra isso é o mesmo que dizer, nos tempos atuais, que a Terra não gira em volta do Sol.

UM HOMEM TOMANDO DE CONTA DO AEROPORTO. CUSTO? R$ 1,7 MILHÃO
Ao lado esquerdo da construção, uma cerca com um buraco permite a fácil passagem de pessoas e leva à pista.

Ali é a prova cabal de que a empresa responsável pela administração do aeroporto ganha seu 'dinheirinho', aparentemente, sem fazer muito esforço, onerando os cofres públicos.

Recentemente o Blog Bastidores publicou nota que mostrava uma suspeita licitação feita para que a atual empresa que administra o aeroporto, a pernambucana Esaero, se mantivesse onde está. E foi dito e feito. [Veja:Esaero deve ganhar licitação para administrar três aeroportos no Piauí]

O edital da licitação previa a concorrência para administrar além do aeroporto de São Raimundo Nonato, o de Floriano e ainda o de Picos. O custo, por baixo, da administração anual dos três é da ordem de R$ 4,5 milhões.

Só para manter o de São Raimundo Nonato, que embora esteja fechado, possui, contraditoriamente, os maiores gastos, são exatos R$ 1.778.033,88. Uma cifra e tanto, levando em consideração que ele não funciona e o número de empregados que atuam nele. Vai ver é porque seja um 'internacional'.

O certo é que lá o 180 encontrou um homem somente, que advertiu que entrar na pista sem autorização pela ?cerquinha furada?, sem manutenção, era cometer um crime passível de cadeia. ?Vocês não estão vendo a placa aí não??, advertiu o vigilante, aparentemente sonolento.

Indagado onde seria a sede de apoio da empresa na cidade, para se obter mais informações e a devida autorização, ele apontou para as mais variadas direções, mas em todas elas só havia Caatinga.

E A CRISE?
O que fica no ar é a sugestão de que o dinheiro empregado para manter um elefante branco como esse aeroporto 'internacional' é algo fácil de se arrecadar e de se pagar.

Além, claro, de ser mal empregado - nas atuais condições em que se encontra a obra sobre a qual mais já se contou mentiras no pobre e corrupto estado do Piauí.

Como se constata, num vislumbre associativo, esse aeroporto tem como irmão siames o Porto de Luís Correia. E como mãe... a incompetência.

Junte a isso a inércia da Secretaria de Transportes, comandada por Guilhermano Pires, e a falta de estratégia da Secretaria de Turismo, comandada pelo clã dos Nogueira.

Pronto. Esse aeroporto nunca terá o respaldo de um aeroporto internacional e sabe-se lá se funcionará para o que foi proposto algum dia.

Mas seu dinheiro, ah... ele continuará a ser usando para mantê-lo. Ainda que não funcione. Alguém sempre ganha com isso.


180graus

Por Rômulo Rocha
? Enviado a São Raimundo Nonato
* Participação de Maelson Ventura ? Pesquisador do Blog Bastidores


Tags: descaso - Aeroporto

Fonte: Da redação  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade
Publicidade
Publicidade Cerrados Restaurante
Publicidade
Publicidade