Portal NOticias de Uruçui

Hibisco
Ficaram sem ter aonde ir

EXCLUSIVO. Decisão da justiça retira famílias das 30 casas ocupadas no bairro São Francisco

Publicada em 01 de Janeiro de 2016 às 18h15


Justiça cumpriu a ação hoje Justiça cumpriu a ação hoje Atenção, essa reportagem foi feita e publicada dia 02 de dezembro de 2015.

» Siga-nos no Twitter
O portal Noticias de Uruçuí acompanhou com exclusividade o trabalho da justiça no bairro São Francisco na manhã de hoje (02). Uma Decisão judicial expedida no dia 31 de agosto de 2015 pelo Juiz da comarca de Uruçuí, Dr. Rodrigo Tolentino foi cumprida na manhã de hoje (02/12) no bairro São Francisco. O ato foi para que as famílias ocupantes das 30 casas saíssem imediatamente das unidades habitacionais de forma pacifica, como de fato aconteceu.

A decisão foi tomada após ação movida pela empresa Construir Planejamento e Construções LTDA. A empresa alegou que é a legitima proprietária da área de terra de 2,12ha (dois hectares e doze centiares), localizada no bairro São Francisco, em Uruçuí, onde são edificadas 30 unidades habitacionais de interesse social, com recursos oriundos do Programa Minha Casa, Minha Vida I.

Um oficial de justiça da comarca de Uruçuí acompanhado por Renato Bezerra, representante da empresa Construir Planejamentos e pela Coronel Julia Beatriz, Coordenadora de Gerenciamento de Crises e Direitos Humanos da Policia Militar do Piauí, estiveram cumprindo a Decisão judicial no local e solicitaram que as famílias ocupantes saíssem do local.

Renato Bezerra, da empresa Construir Planejamentos, esteve no local para apenas fazer um laudo da situação das casas, fotografar e anotar os detalhes de como encontrou as residências. Já a Coronel da PM Julia Beatriz veio direto de Teresina para dar o apoio à justiça em situações como essa (crise habitacional); segundo ela sua equipe já esteve no local há dias atrás para dar conhecimento aos ocupantes das casas sobre o que iria acontecer, ela disse que teve o apoio do Batalhão de Uruçuí com a presença de mais soldados e viaturas para dar suporte ao trabalho que seria de forma pacifica, como realmente aconteceu.

Lamento e revolta das famílias
Já os ocupantes das casas disseram que se assustaram quando a policia chegou ao local, eles alegam que não tem onde morar e que se sentiam injustiçados por o poder publico não lhes dar um local para onde ir. Muitos reclamaram que não tinham para onde ir e que se sentiram sozinhos naquela hora, já que algumas pessoas que disseram estar do lado dos ocupantes há alguns meses atrás incentivaram a ocupação e não apareceu no momento mais difícil, que era a hora do despejo.

Apenas os vereadores Edivaldo Lima e Jackson Coelho estiveram no local, para, naquele momento, dar apoio moral aos mesmos, e garantiram que irão cobrar agilidade na entrega dos terrenos do loteamento que a prefeitura irá fazer.

Os moradores agora esperam que o poder publico municipal tome as providencias no sentido de ajudar as famílias a encontrar um lugar para ficar, visto que a grande maioria não tem para onde ir.


Reportagem: Jackson Coelho Monteiro
Fotos: Jackson Coelho e Luciano Tavares

Tags: Decisão judicial - famílias

Fonte: Da redação  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade Cerrados Restaurante
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade