Portal NOticias de Uruçui

A perca é entre 20% e 60%

Fazenda Tunísia em Uruçuí antecipa colheita devido a falta de chuvas

Publicada em 14 de Março de 2016 às 10h06


Máquinas trabalham de forma acelerada Máquinas trabalham de forma acelerada As chuvas irregulares que tem caído no estado desde o mês de janeiro vai prejudicar a produção de soja no Cerrado piauiense. É o que conta representante de órgãos rurais e também agricultores, que têm perdido de 20% a 60% dos milhares de hectares de soja plantados desde o início do ano. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em todo o Piauí são 626 mil hectares de soja plantados.

» Siga-nos no Twitter
» Participe da comunidade no Orkut

Nem pequenos, nem grandes produtores de soja escapam da estiagem na região Sul. Um exemplo claro está na fazenda de José Ricardo Barbosa. Ele plantou em novembro do ano passado mais de 9.300 hectares de soja na Fazenda Tunísia, que fica na cidade de Uruçuí.

Hoje, na área plantada, máquinas trabalham de forma acelerada, colhendo os grãos antes que eles se percam. Isso porque a falta de chuvas antecipou o processo de evolução do grão, o que reduziu a qualidade do produto.

"Em um ciclo normal, o grão ficaria bem maior e formado. Com coloração bem amarelada. Mas como houve uma antecipação do ciclo devido a falta de chuvas, a formação acabou sendo impedida por conta da umidade. Então, os grãos são menores, com formação não arredondadas. De certa forma descaracterizam a qualidade do produto", contou acrescentando que 60% da safra já foi perdida.

Quem também sofreu com a falta de chuvas foi o dono da Fazenda Emílio, que fica no distrito de Santa Rosa. O agricultor Celso Wenner plantou mais de 7 mil hectares ainda em janeiro deste ano. Ano passado, ele tirou 35 sacos por hectare, e esse ano a expectativa é que esse número caia para menos de 28.

Segundo o representante dos trabalhadores rurais de Bom Jesus e do Gurguéia, Abel Pieta, a instabilidade climática atingiu praticamente a todos os agricultores do Piauí.

"Hoje a perda é de pelo menos 50%, mas as chuvas precisam vir pelo menos até abril ou maio para poder fechar os ciclos da soja. Quem plantou a soja em janeiro, que agora em março vem voltando a chuva, então essa soja na faixa de 20% de prejuízo na situação em que o estágio da soja se encontra hoje. Se a chuva não voltar essa chuva até então, o prejuízo vai ser total, de 100% de perca", contou.

Segundo o diretor da Associação de Produtores de Soja (Aprosoja), Rafael Maschio, foi solicitado através de um documento emitido pelo órgão pedindo a situação de emergência nos Cerrados. "O decreto de emergência é apenas o primeiro passo para que depois o conselho monetário nacional, os agentes públicos financiadores, se manifestem com uma possível renegociação desses débitos", disse.


Com informações do G1-PI

Tags: Tunísia - colheita

Fonte: Da redação  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade
Publicidade Cerrados Restaurante
Publicidade
Publicidade
Publicidade