Portal NOticias de Uruçui

Anuncie sup 970x90
Suspensa a partir desta terça

Justiça decreta ilegalidade da greve na Uespi que já dura dois meses

Publicada em 20 de Junho de 2016 às 17h06


Estudantes no Karnak (Foto: Gustavo Almeida/G1) Estudantes no Karnak (Foto: Gustavo Almeida/G1) O Tribunal de Justiça (TJ) do Piauí decretou na manhã desta segunda-feira (20) a ilegalidade da greve dos professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), deflagrada há dois meses. No decreto, o desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar, determina a suspensão da greve e professores e técnicos devem voltar às atividades de forma imediata. Em caso de descumprimento, a categoria está passível de multa no valor de R$ 10 mil a R$ 100 mil.

» Siga-nos no Twitter
» Participe da comunidade no Orkut

Desde o dia 18 de abril, técnicos, professores e governo não entram em acordo sobre a questão salarial, o que poderia por fim à paralisação que atinge mais de 20 mil alunos da instituição. Segundo a organização do movimento #SOSUespi, 100% dos campi no interior do estado estão parados.
Por diversas vezes, governo e categoria se reuniram para tentar uma acordo, mas sem sucesso. Por conta da indecisão dos professores em não aceitar um acordo com o governo, o secretário de administração, Franzé Silva, chegou a dizer que os docentes foram intransigentes, o que motivou o pedido do estado pela ilegalidade da paralisação.

"Esperamos que agora os servidores, através dos seus sindicatos, possam estar reabrindo essa possibilidade de negociação. O estado já avançou o suficiente e queremos ter agora a garantia de que com a legalidade possamos ver a normalidade do período letivo seja retomada na Uespi para evitar prejuízos como esses aos alunos", disse o secretário de administração.

A principal exigência da categoria é a falta de abertura por parte do governo do estado em debater a campanha salarial dos profissionais. Os grevistas pedem a revogação da Lei 6.772/2016, que congela a progressão de carreira dos docentes da Uespi.

De acordo com o projeto, professores que fizessem mestrado, doutorado ou qualquer qualificação na área docente não iriam receber aumento de salário.

Manifestações
Diversas manifestações marcaram a greve dos docentes e técnicos da Uespi durante estes dois meses de paralisação. Em uma dessas manifestações, um grupo formado por estudantes, professores e técnicos da unidade de ensino ocupou o plenarinho da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).

O objetivo fazer o Governo do Piauí a negociar com os profissionais, que reivindicam aumento nos salários.

Em outro protesto, estudantes chegaram a invadir e ocupar o Palácio de Karnak por duas vezes. No primeiro, cerca de 200 manifestantes pularam as grades, invadiram o palácio do governo e com gritos de ordem cobravam melhorias na estrutura e mais segurança nos campi. Uma semana depois eles voltaram a ocupar o Karnak por conta do cancelamento de uma reunião que estava marcada entre a categoria e o governo do estado para tratar sobre a greve e melhorias na instituição.


Com informações do G1-PI

Tags: Justiça - ilegalidade - greve

Fonte: Da redação  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade
Publicidade Cerrados Restaurante
Publicidade
Publicidade
Publicidade