Portal NOticias de Uruçui

Anuncie sup 970x90
Depois da energia, combustível

PREÇO da carne sobe e consumidor substitui o produto

Publicada em 14 de Janeiro de 2015 às 23h34


Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2014, ir ao supermercado ficou mais caro devido à inflação. O produto que registrou aumento mais significado foi a carne vermelha, o preço aumentou 22,21%. Esses dados são com base na inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em Teresina, estes aumentos podem facilmente ser comprovados nos frigoríficos e supermercados que comerciali-zam o produto e são alvos constantes de reclamações. O preço médio da carne bovina gira em torno de R$ 20, o quilo.

» Siga-nos no Twitter
» Participe da comunidade no Orkut

Com base no índice, a inflação ficou em 6,41% e o impacto da alta da carne nesse índice geral foi de 0,55 ponto percentual. Ainda de acordo com o IPCA, os preços de outros produtos, como o limão e a cerveja, também tiveram acréscimo. O preço da cerveja no supermercado ficou 9,28% mais caro.

Francisco Wellington, super-visor do setor de carnes em um supermercado na zona Sul de Teresina, conta que, atualmente, o preço do quilo da carne bovina se aproxima dos R$ 20. "Dentre as peças mais procuradas, o quilo do coxão mole custa R$ 19,90 e do patinho, R$ 18,90", afirmou.

Ele acrescenta ainda que, dentre as carnes vermelhas, o consumidor economiza mais comprando a carne suína. "Elas são até R$ 10 reais mais baratas. O valor da bisteca é R$ 8,99, do pernil, R$ 9,93, e costela, R$ 12,90", contou. Para o economista Cláudio Soares, esse aumento no valor da carne bovina foi provocado pela estiagem que atingiu os Estados das regiões Centro-Oeste e Sudeste do país, principais fornecedores de carnes.

Embora a inflação e a análise da elevação no preço dos produtos tenham sido divulgados somente agora, os consumidores afirmam que há muitos meses perceberam que os produtos estavam mais caros. "Para quem frequenta o supermercado todo mês, a impressão é que os preços só aumentam. A carne, com certeza, é um dos produtos mais caros. Quando não é possível comprar carne de gado, a gente troca pela de porco, e essa também estiver cara, é o jeito levar frango ou peixe", afirmou a estudante Thays Lopes.

Além da carne e da cerveja, outros produtos foram responsáveis pela inflação no final do ano e estão mais caros. Dentre eles, algumas frutas, a cebola e a farinha de mandioca. Com a alta dos alimentos no final do ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo ficou em 0,57%, acumulando alta de 6,75% em 12 meses.

Apesar da elevação dos preços, Cláudio Soares, economista, diz que o aumento não foi generalizado. "Uma grande parte teve aumento, como mostrou o estudo, mas é importante destacar que teve queda no preço do feijão, açúcar e outros produtos básicos", esclareceu.

Segundo ele, outro ponto importante é que os valores dos produtos variam constantemente. Dessa forma, os preços podem diminuir ou aumentar mais em poucos meses. "Um exemplo é o tomate e a batata inglesa que ficaram mais caros no final de 2014 e voltam a aumentar de valor no inicio de 2015, com a chegada do período chuvoso", explicou.
Tags: carne - sobe

Fonte: Diário do Povo  |  Publicado por: Da Redação
Comente através do Facebook
Matérias Relacionadas
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade Cerrados Restaurante